quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

FILHOS ESPECIAIS AGRESSIVOS O QUE FAZER?


Agressividade - causas 

   Sabe-se  hoje  que  crianças  particularmente 
      impulsivas  e agressivas  apresentam  baixos 
         níveis de epinefrina, uma enzima que reduz 
     os  níveis  de  serotonina,  neurotransmissor 
    que  modula    o  humor,   as   emoções,    o 
  sono e o apetite. Níveis elevados de 
  serotonina      estão     associados       à 
       agressividade. Por fim, baixos níveis de 
      que contém  ferro e que modula a resposta 
          do  indivíduo  a  estímulos  que   produzem 
       excitação,       são       consistentemente 
  encontrados em pessoas impulsivas. 

                  Agressividade - causas 

   Entre psicólogos, a resposta a esta questão tem gerado controvérsia: 
 -Algumas     correntes   apoiam-se     no   pressuposto     de  que   a   agressividade     é 
     largamente herdada; 
      - Outras defendem que a agressividade é o produto da influência do meio. 
   Colocando de lado estas questões polemicas sabe-se que o comportamento é o 
   resultado de múltiplos factores e talvez a conclusão mais correcta seja a de que: 

a agressividade é o resultado de factores genéticos, 
    em interacção com o meio, num contexto temporal específico. 
  O  comportamento  humano  é  o  reflexo  de  determinadas
  características  da     personalidade  do  indivíduo, 
     tais como o temperamento, o carácter ou a emoção. 

             Agressividade - causas 

      Sabe-se  hoje  que  crianças  particularmente 
     impulsivas  e agressivas  apresentam  baixos 
      níveis de epinefrina, uma enzima que reduz 
 os  níveis  de  serotonina,  neurotransmissor 
    que  modula    o  humor,   as   emoções,    o 
  sono e o apetite. Níveis elevados de 
 agressividade. Por fim, baixos níveis de 
      monoamina-oxídase     (MAO),   uma    enzima 
      que contém  ferro e que modula a resposta 
      do  indivíduo  a  estímulos  que   produzem 
   excitação,       são       consistentemente 
        encontrados em pessoas impulsivas. 

           Agressividade - causas 

    Entre psicólogos, a resposta a esta questão tem gerado controvérsia: 
   -Algumas     correntes   apoiam-se     no   pressuposto     de  que  
 a   agressividade     é 
    largamente herdada; 
     - Outras defendem que a agressividade é o produto da influência do meio. 
   Colocando de lado estas questões polémicas sabe-se que o comportamento é o 
  resultado de múltiplos factores e talvez a conclusão mais correcta seja a de que: 

    a agressividade é o resultado de factores genéticos, 
    em interacção com o meio, num contexto temporal específico. 
    O  comportamento  humano  é  o  reflexo  de  determinadas  características 
 da  personalidade  do  indivíduo, 
        tais como o temperamento, o carácter ou a emoção. 

              A criança agressiva 

   Ao longo do processo de desenvolvimento da criança, há tendências agressivas 
    inatas que emergem, embora estas possam ser diferentes, consoante a criança 
    em questão. 
  Nos   primeiros  anos  de  vida, por  não   dominar  os  recursos   da  linguagem   e, 
\    consequentemente, não conseguir exprimir verbalmente as suas contrariedades, 
        a  criança  expressa  a  sua  agressividade  através  de  gritos,  choro  ou  até  com 
      agressões físicas. 

  AGRESSIVIDADE MANIPULATIVA 

     Alcançar determinados fins 

  A criança agressiva 

   Com   a  passagem    do  tempo,   a 
    agressividade   não   desaparece. 
   No  entanto,  a  criança  aprende 
   com   os   adultos   que   existem 
  outras formas de obter o que se 
  deseja,  nomeadamente      através 
    da partilha e da negociação. 

       A criança agressiva e as aprendizagens 

  A  maior  parte  das  crianças  que  não  tem  sucesso,  quer  tal  suceda  com  a 
  leitura ou com o estabelecimento de relações, faz tentativas para se adaptar 
    ao seu insucesso. 

     Incapazes    de   verem    as  suas   necessidades     correspondidas     através  de 
   comportamentos positivos e socialmente adequados, ficam frustradas. 

 FRUSTRAÇÃO  AGRESSIVIDADE

   A criança agressiva e as aprendizagens 

  Deve  ensinar-se  tudo  à  criança,  dia  após  dia,  pois  só  assim  veremos  a 
  criança progredir. É uma luta quotidiana que não deve ser interrompida. 
  A  cada  nova  aprendizagem,  a  criança  revolta-se  frequentemente,  recusa, 
  opõe-se.   Algumas    tapam    os  ouvidos,  fecham    os  olhos,  viram  a  cabeça, 
   deitam-se com a cara no chão. A primeira recusa é quase sistemática mas 
 corresponde a uma reacção normal. 

        Toda a criança deficiente deve conhecer os limites do que é permitido 
       no plano moral e no plano do comportamento, pois só assim a sociedade 
      não  a  rejeitará.  Se  for  necessário,  os  pais  devem  castigar,  proibir,  ralhar  e 
    serem  firmes  com  a  criança,  para  que  ela  nunca  venha  a  ter  atitudes  que 
   nunca seriam aceites numa criança normal. 

  O que fazer? 

    Não há receitas para se 
     estabelecer uma boa relação 
      com as crianças. 
   No  entanto, existem  técnicas 
 e  competências    específicas 
    que     podem     ajudar. 
   Basicamente,    a    resposta 

      consiste em saber o que 
   não se deve fazer. 
  
O que fazer? 
 Castigo 

    As  crianças  com  problemas  de  temperamento  prestam  pouca  atenção  às 
   consequências    do  seu   comportamento.    A  maior   parte  do  comportamento 
    inadequado    advém    de  um   impulso   (algo  não  premeditado)    ou   de  uma 
   intensidade  emotiva  que  não permite o  controlo das  reacções. Em qualquer 
    dos casos, castigar o comportamento não ajuda a alterá-lo mas, por vezes, é 
  necessário e inevitável. 

  Ignorar o comportamento 

   O  ignorar  o  comportamento  funciona  com  muitas  crianças.  Muitas  crianças 
     perturbam  a  aula,  por  exemplo,  para  chamar  a  atenção.  Tentam  perceber, 
     sobretudo, se o seu comportamento afecta os outros. 
    Os elementos do ignorar eficaz são: 
 -eliminação do contacto ocular; 
 -eliminação da atenção não verbal, do contacto verbal e do contacto físico. 
  
   O que fazer? 

    Recompensas 
    Algumas    crianças  com   comportamentos      de  oposição   e  de  agressividade 
 raramente ganham a recompensa. Eventualmente, desligam-se do adulto que 
     a  prometeu    e  começam     a  ver-se   a  si mesmas     como    fracassos.   Têm 
       dificuldade em fazer com que o seu comportamento sirva os seus melhores 
     interesses. 

 Reforços sociais positivos (elogios) 

    Empregam três tipos de recompensas: 
   -Físicas (abraços, beijos, toques nas costas); 
   -Verbais não específicas (“Muito bem”, “Gosto disso”, “Bom trabalho”); 
   -Verbais  específicas   (frases  elogiosas   que   descrevem    o  comportamento: 
   “Obrigada por me ajudares com o lixo”. 

   O  elogio  descreve  o  que  a  criança  está  a  fazer  e  mostra-lhe  que  o  seu 
  comportamento é valorizado. Deve ser genuíno e feito de modo adequado. 

  Proposta de actividade 

 Crianças com comportamento agressivo 

    As  crianças  que  usam  com  frequência  a  força  física  para  resolver  os  seus 
   problemas    são  pessoas    inseguras   que  estão   a  reclamar   a atenção    dos 
   adultos.  Não   há  receitas  para  se  estabelecer    uma   boa  relação   com   as 
 crianças; no entanto, o senso comum diz-nos que algum amor misturado com 
   uma boa dose de respeito pela personalidade única da criança podem ser os 
   condimentos perfeitos para tal. 
  Seguem-se     algumas    técnicas  que   podem    ajudar  os  educadores    perante 
 desvios de comportamento. Para cada uma delas, diga se as afirmações são 
    correctas (C) ou incorrectas (I). 


Formadora: Elisa de Castro Carvalho 
http://cursosefa.do.sapo.pt

0 comentários:

Postar um comentário